Home > Educação > O bullying nosso de cada dia
60277dba3282779a3354b72707afd802_XL
Desde 2016 o Brasil instituiu por lei o dia 7 de Abril como “Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência Escolar. Essa data é para lembrar aquele massacre na escola de Realengo no Rio de Janeiro, anos antes.
Mesmo antes de virar lei, muitas escolas viram a necessidade de falar sobre o bullying e sua existência que assola a vida de vários estudantes fragilizados. Sim, o bullying é sentido pelos mais frágeis, os tímidos, os com necessidades e até os que só não querem se juntar. É mais sentido por esses, mas existe para todos. O que muda é a forma com que ele é absorvido dentro de cada um.
Embora exista há muito tempo – lembro de ser chamada de vários apelidos na escola- hoje o bullying é o motivo de grandes atos de violência pelas escolas mundo a fora, e precisou de uma lei para que as pessoas começassem a prestar atenção nesse problema que insiste em humilhar e deprimir milhares de crianças em todos os cantos.
No combate ao bullying dentro das escolas estão os professores, psicólogos e pedagogos, mas e em casa? Como estamos lidando com essa questão? Como ensinar nossos filhos a reagir ao bullying? E como reagimos se é o nosso filho o causador dessa ameaça?
São muitas perguntas, eu sei. Mas para respondê-las volto a falar sobre a segurança emocional dos nossos filhos, que depende de uma base familiar forte e de diálogo como maior recurso de conhecimento e transformação entre pais e filhos. Converse hoje com seu filho sobre o bullying, veja o que ele sabe sobre o assunto e o que pensa a respeito. Ainda há tempo de evitarmos grandes danos e prevenir ações devastadoras!

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*