Home > Família > Mãe sem culpa
Depositphotos_40010035_original-1024x819

Você já deve ter ouvido alguma mãe ou pai dizer as frases “onde foi que eu errei”, “eu não estava lá”, “a responsabilidade é minha” . Isso sempre acontece quando as coisas não saem como esperado em casa ou na vida da família. E não é uma questão só dos filhos pequenos, a vida dos pais é cercada de culpa.

A mãe se culpa na hora de voltar ao trabalho, ou se o filho adoeceu, perdeu na escola, se bateu de carro ou se separou… é mais comum que a gente pensa. E na maioria das vezes traz muita tristeza, insegurança, frustração para as famílias. A criação dos filhos é responsabilidade dos pais. Mas nessa questão existem dois pontos distintos: responsabilidade e culpa.

Legalmente e na formação dos filhos, existe a responsabilidade dos pais. É a questão prática e eu sempre a defendo aqui. Se sentir responsável é diferente de se sentir culpado. A responsabilidade nós faz enxergar os erros, identificar, reavaliar e traçar um novo caminho.

Se meu filho vai mal na escola, eu sou responsável, vou procurar a escola, saber o que está acontecendo, olhar em casa o que pode estar distraindo, ver se ele precisa de um reforço escolar ou de mais tempo estudando. Mas se ele vai mal na escola e eu me sinto culpada, esse sentimento me paralisa e entristece, apenas. Eu fico me culpando e aceito a situação. Identifico em mim o erro  e não resolvo. Acho que ele está mal por que eu sou uma mãe ausente, que não dei atenção, não coloquei para estudar… e isso é péssimo pra família.

Para melhorar essa situação é bom que a gente trabalhe isso em todas as áreas. Identificar erros, assumir responsabilidade que me cabe e encontrar soluções, impulsiona nossa vida para melhor. É crescimento. Mas quando isso não acontece na maternidade, faz muito mal para as mães e pode chegar ao ponto de causar problemas emocionais. O cansaço mental em que muitas mães acabam se encontrando pode ser decorrente de uma vida cheia de culpas. Então, saber distinguir culpa de responsabilidade é o primeiro passo . 

Vale muito a pena criar o hábito de avaliar e dividir responsabilidade – desde as pequenas coisas como um prato quebrado, até um acidente de carro. Além disso, se a mãe vive se culpando por tudo e não consegue ver isso sozinha, pode ser que ela precise de ajuda da família e até de um profissional para analisar seu psicológico.

Mães tentam, mas não são fortes o tempo todo. Uma ajuda é sempre bem-vinda!

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*