Principal > Eu sou #MãePraSempre > “Eu Sou #MãePraSempre”
IMG-20160306-WA0023

Olá, pessoal! Essa é minha amiga Débora Malagris. Ela vai estrear a coluna “Eu sou #MãePraSempre…” aqui no blog. Eu acho que a maternidade não vem com manual de instrução e tudo é vivido de maneira muito particular. Por isso, resolvi pedir que algumas mães amigas dividam suas experiências com a gente. Vamos lá?!

“Quando era mais jovem não tinha desejo de ser mãe. Nas conversas com minhas amigas era sempre a mesma conversa: Estudar, casar e ter muitos filhos. Eu só pensava em estudar e casar, mas ter filhos… não! Até que casei e depois de cinco anos de casamento, percebi que faltava um “algo a mais”.  Aos 25 anos engravidei e descobri um sentimento tão magnífico e especial que as palavras não conseguem expressar o que senti naquele momento.

Um amor tão grande por alguém que não conhecia, nem ao menos o seu rostinho, mas que já existia dentro de mim. Foi aí que entendi o que é ser mãe e como é especial carregar alguém por nove meses e que depende exclusivamente de você para viver.

Quando descobri que seria um menino meu mundo ficou azul e muito mais feliz. O nome escolhido foi Daniel. E em meio a alegria de ser mãe e mãe de menino, descobri que seria uma mãe especial, pois o Daniel tem um coração especial. Aos 6 meses de gestação, através dos exames de pré-natal descobrimos uma cardiopatia congênita.

Não foi fácil…. uma mistura de sentimentos invadiu o meu peito e o medo de perdê-lo foi algo que me fez perceber, mais uma vez, que eu já era mãe. E graças à Deus o Daniel chegou e me mostrou coisas que nunca perceberia ou entenderia se a maternidade não acontecesse em minha vida. Entendi que não mais seria a mesma pessoa e que era mais forte do que imaginava, era capaz de amar verdadeiramente.

E quando o Daniel completou dois anos e 2 meses, descobri que estava esperando outro bebê. Para quem antes não pensava em ter filhos, ter um segundo filho foi uma grande surpresa!!!

Ter o segundo filho é tão especial quanto o primeiro, porém você sente mais preparada, “experiente”, mas um filho nunca é igual ao outro, não é mesmo?! Quando soube que seria uma menina, meu coração transbordou de alegria, fiquei muito feliz e o meu mundo voltou a ser rosa!!! Demos a ela o nome de Isabela e quando pronuncio ou ouço o seu nome penso em um trecho de uma música: “… a flor mais bela que Deus plantou em meu jardim…” e realmente é assim… Isabela é minha flor, meu amor!

Apesar dos desafios da maternidade, que não são poucos, me sinto completa e feliz, pois tenho a melhor herança que alguém poderia receber: filhos!  Daniel e Isabela me ensinaram a ter um coração ainda mais grato a Deus pela preciosa benção de ser mãe e também perceber que mãe é para sempre. Eu sou mãe para sempre!

Débora, tenho 34 anos e sou mãe do Daniel (8 anos) e da Isabela (6 anos).

Comentário, RSS

O seu email não será publicado. Campos requeridos estão marcados com *

*