Principal > Família > Amamentar: alimento e amor
bebe-mamando

Estamos na Semana Mundial da Amamentação e em mais de 170 países lideranças em saúde debatem, falam e tentam conscientizar milhares de pessoas sobre a importância do aleitamento materno. Quando, na verdade, era para ser um ato natural de quem decide ser mãe.

Apesar de respeitar todas as linhas de discussões que são propostas com embasamento, a questão da amamentação para mim nunca esteve num local que devesse ser discutido. Mas está, então todo ano uma semana é dedicada a esse assunto na tentativa de fazer novas mães não desistirem desse processo.

Um processo que não é fácil, nem pode ser imposto. Quando não há nenhuma restrição de saúde, amamentar é uma grande decisão de amor – aquele amor que supera obstáculos e se doa sem esperar nada em troca. O amor materno.

A decisão de ter essa experiência traz inúmeros benefícios para mãe e filho – os médicos esclarecem isso com muita lucidez. Mas nas minhas duas experiências, além de saúde física, valorizei a saúde emocional  e o grande vínculo de amor que criamos quando estávamos só nós – eu e o filho sendo amamentado. Ali não tinha mais ninguém, não precisava de mais nada…só de nós dois. E isso, não tem preço.

Saúde, afeto, emoções. Decidir amamentar ou não, nunca será tradução do caráter de ninguém, mas pode tirar de muitas mães uma experiência incrível da maternidade.

Comentário, RSS

  • Marcelly

    fala sobre:
    7 de agosto de 2017 at 21:40

    Realmente uma experiência única…uma delícia! Há uma troca de olhares…sem explicação! Amor!

  • Odicéia Manhães

    fala sobre:
    8 de agosto de 2017 at 23:34

    Amamentar é sem dúvida um ato de amor! Há uma cumplicidade entre mãe e filho inimaginável e inigualável. Só sabe quem o faz!

O seu email não será publicado. Campos requeridos estão marcados com *

*